pg incial 2018

cicaf

*

Você está aqui: HomeNotíciasNo pequeno caminho do amor...
Publicado em Notícias
Postado por  Sede Geral - Marlene dos Santos 30 Setembro 2021
No pequeno caminho do amor...

 

“Só o amor resolverá, amor ao povo, amor ao novo, amor à luta, amor à vida, amor ao Cristo libertador!” (Irmã Fátima Souza)

O mês de outubro vai chegando! Além de trazer consigo muitas memórias agradecidas, ele desafia a dar novos passos, motiva encontros, inspira caminhos... é o mês missionário! Nessa dinâmica, acolhemos o convite do Papa Francisco, em sua mensagem para o Dia Mundial das Missões desse ano, a sermos “missionárias e missionários da compaixão e da esperança”.  

Abrimos o mês missionário celebrando a festa da madroeira das missões, Santa Teresinha do Menino Jesus! Teresinha não recebeu esse título por ter devorado quilômetros ou ter realizado grandes feitos, mas devido ao seu intenso desejo de amar a Deus e de, através do amor, levar as pessoas até Ele. Ela compreendeu que o amor encerra todas as vocações e que o amor é tudo. Por isso, afirmava: “minha vocação é o Amor”.

Ao olhar para Santa Teresinha em sua experiência místico-missionária, encontramos inspiração para uma vivência profético-transformadora em nossos dias, pois “amar em tempos de ódio é um ato revolucionário”. Estamos falando do amor romântico, do amor fraternal em relação a toda a humanidade, do amor à natureza, às outras espécies, à Casa Comum.

O Papa Francisco, em seus escritos, tem apontado caminhos concretos para a vivência do amor. Na encíclica Laudato Si, ele recorda que “o exemplo de Santa Teresa de Lisieux convida-nos a pôr em prática o pequeno caminho do amor, a não perder a oportunidade de uma palavra gentil, de um sorriso, de qualquer pequeno gesto que semeie paz e amizade. Uma ecologia integral também é feita de simples gestos quotidianos, pelos quais quebramos a lógica da violência, da exploração, do egoísmo” (n. 230).

Na encíclica Fratelli Tutti, Francisco apresenta o novo paradigma para a vivência do amor na perspectiva da fraternidade e do amor social, que se desdobra no amor em sua concretização pública, no cuidado dos mais frágeis, na cultura do encontro e do diálogo, na política como ternura e amabilidade. Nesse sentido, política não se reduz à disputa pelo poder e à divisão dos poderes, mas também nela há lugar para o amor com ternura aos mais pequenos, aos mais débeis, aos mais pobres. “Eles devem enternecer-nos e têm o ‘direito’ de nos encher a alma e o coração; sim, são nossos irmãos e como tais temos que amá-los e assim tratá-los” (194).

E o que é a ternura? “É o amor que se faz próximo e concreto; é um movimento que procede do coração e chega aos olhos, aos ouvidos, às mãos” (196). Nessa dinâmica, o amor nos coloca em tensão para a comunhão universal e exige uma progressiva abertura, uma maior capacidade de acolher os outros em suas realidades, em suas diferenças de cultura, idade, gênero...

O amor deve estar sempre em primeiro lugar, além, inclusive, de algumas atitudes ou valores morais. Ele nos habilita a um dinamismo de abertura e união para com outras pessoas (cf. FT 68). Nessa certeza, cantamos com Vinicius de Moraes em seu Samba da Bênção, que a “a vida é a arte do encontro, embora haja tantos desencontros na vida” (LS 215).

Nessa busca da vivência do amor, como santa Teresinha, aventuremo-nos no cultivo dos mesmos sentimentos de Jesus. Só o amor pode vencer a intolerância, o preconceito, a indiferença, a exclusão, a violência, derrubar muros, promover encontros, diálogos... Que o amor de compaixão de Jesus desperte também o nosso e nos torne cada vez mais discípulas/os missionárias/os”!

Nosso abraço carinhoso às irmãs, formandas, simpatizantes da Província Santa Teresa do Menino Jesus na festa de sua madroeira! Gratidão pelo testemunho missionário, pela vida entregue à causa do Reino, por cada gesto fecundado pelo amor que gera e defende a vida!

Santa Teresinha derrame, sobre todas/os nós, pétalas de amor, justiça, compaixão, itinerância, profecia, ternura, acolhida, diálogo... e nos inspire nos caminhos da missão! Que o amor também seja nossa vocação!

Deus Onipotente,

que estás em todo o Universo

e na mais pequenina das tuas criaturas:

Tu, que envolves com a tua ternura tudo o que existe,

derrama em nós a força do teu amor

para cuidarmos da vida e da beleza do mundo (LS 246).

Informações adicionais

  • Fonte da Notícia: Irmã Marlene dos Santos - pela coordenação Geral

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

 

Direção
Isabel do Rocio Kuss

Ana Cláudia de Carvalho Rocha

Marlene dos Santos

Rosali Ines Paloschi

Arte: Lenita Gripa

Congregação das Irmãs Catequistas Franciscanas
Rua Des. Nelson Nunes Guimarães, 346
 Bairro Atiradores - Joinville / SC – Brasil
Fone: (47) 3422 4865